A Universidade do Minho (Portugal) assume-se como uma Universidade de investigação, cuja centralidade está suportada em indicadores relevantes: 85% dos seus docentes possuem grau de doutor; dos 29 Centros financiados pela FCT, 9 têm classificação de Muito Bom e 12 de Excelente. A UMinho integra 5 Laboratórios Associados, um dos quais coordenado por duas Unidades de I&D da UMinho. O Laboratório Associado ICVS/3B’s foi criado em 2011, associando o ICVS – Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde e o 3 B’s Research Group, assente no desenvolvimento de sinergias e competências complementares no domínio da saúde.

Em 2011, foi ainda materializada a criação do LIP MINHO, em resultado da parceria estabelecida entre o Departamento de Física e o Laboratório Associado LIP – Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas. Em outubro de 2012, foi formalmente criado o polo da UMinho do Laboratório Associado INESC Porto, em parceria com o Centro de Investigação HASLab (High Assurance Software Laboratory). A UMinho está ainda representada em 2 Laboratórios Associados nas áreas das nanoestruturas, nanomodelação e nanofabricação (I3N), através do IPC – Instituto de Polímeros e Compósitos, e dos biomateriais, da biotecnologia e da bioengenharia (IBB), em parceria com o CEB – Centro de Engenharia Biológica. A UMinho integra, através do Grupo de Investigação 3B’s – Biomateriais, Materiais Biodegradáveis e Biomiméticos, o Instituto EBISTSuropeu de Excelência em Engenharia de Tecidos e Medicina Regenerativa, cujo CEO é o Professor Rui L. Reis. O Times Higher Education 100 under 50 University Ranking 2014 classificou a UMinho na 75 ª posição a nível mundial.

O grupo que participa no projeto SouthZEB é o Grupo de Construções, Laboratório de Física e Tecnologia das Construções, pertencente ao Departamento de Engenharia Civil, um dos dez Departamentos da Escola de Engenharia. Este departamento é responsável por um curso Internacional de Doutoramento e um Curso de Mestrado Internacional em Sustentabilidade do Ambiente Construído e tem dois centros de pesquisa: ISISE – Instituto para a Sustentabilidade e Inovação em Engenharia de Estruturas e CTAC – Centro de Território, Ambiente e Construção. Nos últimos três anos, o Centro de Investigação CTAC (centro envolvido neste projeto) assegurou mais de 6 milhões de euros de financiamento (financiamento externo de programas da UE, FCT, instituições governamentais e da indústria). O grupo tem experiência na tecnologia das construções, desempenho térmico de edifícios, ventilação e qualidade do ar interior, iluminação natural em edifícios, energias renováveis, acústica de edifícios, nZEB, desenvolvimento sustentável e reabilitação sustentável de edifícios. O grupo tem excelentes instalações laboratoriais e está bem equipado nestes domínios.

Close It